Editais de inovação aberta: como funcionam e onde encontrar

Editais de inovação aberta são hoje a forma de ingresso em programas de inovação de maior tendência no mercado empresarial.

Eles foram criados para levar a inovação até as empresas de forma prática e regulamentada. Rapidamente, se tornaram uma das melhores oportunidades para startups, micro e pequenas empreendedoras captarem recursos e realizarem networking.

Mas, ainda que muito bem detalhados, os documentos podem gerar dúvidas na hora de se inscrever. Por isso, preparamos um guia completo para te contar como eles funcionam e ainda dar dicas de como encontrar editais.

Antes, também te explicamos o que são os programas e quais os modelos de inovação existentes. Venha entender!

O que são os programas de inovação?

Os programas de inovação são a aplicação dos projetos de inovação a partir de uma estrutura com objetivos bem delineados e direcionados.

Se fosse um corpo humano sua função seria equivalente a do esqueleto, protegendo atividades vitais, dando suporte e movimentação para as iniciativas inovadoras em progresso.

Trata-se, portanto, de um método com capacidade de transformar o potencial de inovação empresarial em uma operação contínua. Para isso, requer o alinhamento de todos os setores e funcionários e de alguns direcionamentos-chave.

O principal deles é a implementação de uma cultura de inovação. Outros são a conexão com startups, a gestão de metas e a metrificação dos resultados.

Quais são os modelos de inovação?

Para entender um pouco mais o que são os programas é importante saber que existem vários modelos de inovação em uso. Todos buscam vantagens estratégicas e têm objetivos específicos.

  1. Aceleração corporativa — Muito usado por grandes empresas, como a Disney e a Google, é um tipo de inovação aberta que investe em startups ou programas universitários com o objetivo de trazer soluções para problemas internos. Uma forte característica da aceleração corporativa é agir com grande controle sobre os processos realizados. Desse modo, é um modelo que traz muitos benefícios para as empresas investidoras, que ainda podem obter retorno por meio de participação nos lucros, venda de tecnologia, utilização antes do lançamento no mercado e etc.
  2. Aceleração externa — É um modelo em que as empresas investidoras não custeiam o programa de inovação, pois se aproveitam de uma rede de negócios estabelecida e já administrada por outras frentes.
  3. Time de inovação — É bastante utilizado por empresas que se sentem ameaçadas por lançamentos de tecnologias ou produtos constantemente no mercado. Pode contar com a colaboração de especialistas externos e internos. Tem o objetivo de construir um time dedicado a pensar em processos de inovação, oferecendo mais eficiência e facilitando a criação de soluções para produtos e serviços existentes.
  4. Intraempreendedorismo — Voltado para a aceleração interna, é um tipo que ajuda a identificar potenciais de inovação dentro das empresas. Normalmente, tem um custo maior do que os programas de inovação aberta, já que precisa desenvolver todas as ferramentas e processos de inovação por conta própria. Confira um exemplo de aqui!
  5. Posto de inovação (innovation outpost) — Mais difundido na região do Vale do Silício, nos Estados Unidos, são hubs que propõem que a inovação seja realizada de forma colaborativa dentro de um espaço de negócios. É muito agregador para diminuir custos e aumentar as opções de relacionamento dentro do ecossistema da inovação.
  6. Investimento e aquisição — Ideal para negócios tradicionais que buscam investir em startups e pequenas empresas para obter participação minoritária. Nesse modelo, a tendência é a de um relacionamento contínuo entre as partes.

Como funcionam os editais de inovação aberta?

Como visto, há muitos modelos utilizados para inovar. Alguns estão ligados a estratégias de diversificação de ideias, oportunidades de aumento de receita e redução de custos. Outros estão mais focados em gerar produtos e processos competitivos.

Com tanta diversidade na inovação é claro que as formas de ingresso nos programas também variam. Mas, dentre elas, os editais têm se destacado pela capacidade de regulamentar as regras e as condições de participação de forma clara.

Sendo assim, é muito importante conhecer a fundo como esses editais se estruturam. Ainda, o que está em jogo no momento em que se realiza uma inscrição.

Neste ponto, é fundamental lembrar que a inscrição em um edital é uma apresentação de proposta comercial. Desse modo, vários pontos de atenção devem ser compreendidos para conseguir se destacar e ser selecionado.

Qual é a estrutura de um edital em um programa de inovação aberta?

Os editais de inovação aberta são documentos em que estão estruturadas todas as etapas necessárias para entender os problemas das empresas e alcançar os resultados esperados por meio da solução de desafios.

Normalmente eles apresentam partes que 1) definem um meio de divulgação e submissão de propostas; 2) estabelecem critérios para avaliação e seleção dos projetos; 3) informam sobre o período de aprovação e execução das provas de conceito (PoCs) e 4) estabelecem o momento de apresentação dos resultados, chamados de Demoday.

Se você não está familiarizado com o termo, as PoCs (proof of concepts) são o desenho alinhado da solução a ser desenvolvida. Elas devem apresentar criatividade e domínio das tecnologias, sendo interessante passarem por um teste em escala reduzida.

Indo em direção a seção dos desafios nos editais, essa é a parte onde os problemas são minuciosamente detalhados e contam com o auxílio de imagens.

Um dos pontos que aparecem na explicação dos problemas e podem ser decisivos para a escolha da proposta que melhor trará resultados para as mantenedoras são os diferenciais para a solução.

Mais um destaque para você saber nos editais de inovação aberta são os encontros Bootcamps. Eles acontecem antes da seleção das startups e são uma oportunidade de tirar dúvidas e realizar imersão junto com as mantenedoras.

 

As imagens ajudam na visualização dos desafios e podem esclarecer questões relacionadas à logística e complicadores de execução.

Finalmente, há que considerar que um mesmo edital pode oferecer mais de um desafio. Na verdade, é muito comum que eles contenham dezenas deles de uma só vez.

A depender do edital e do programa de inovação a inscrição de uma proposta poderá ser feita apenas para um dos desafios. Em outros casos é permitido que você apresente mais soluções e depois escolha aquele problema que quer resolver.

Checklist do que você deve prestar atenção ao se inscrever em um edital de inovação aberta:

  • Tipo de modelo de negócio: determinado pelas mantenedoras em alguns editais, podem ser B2C (business to consumer), B2B (business to business), B2B2C (business to business to consumer), SaaS (software as a service), Franchising, Economia colaborativa, Adware, Freemium, entre outros.
  • Responsabilidades e obrigações: trata-se da especificação que indica quem será encarregado de qual função e o que será cobrado de cada uma das partes ao final do processo.
  • Os gastos no orçamento: é o levantamento dos custos operacionais incluindo todos os processos dentro da proposta de solução.
  • Datas e estimativas de entrega: são os prazos intimamente ligados à gestão das propostas e a sua executabilidade

Dicas para encontrar editais de inovação aberta

De forma geral, estar em contato com o ecossistema da inovação é a melhor forma para encontrar editais e apresentar propostas de solução de desafios. Contudo, é possível dizer que em alguns pontos de contato eles são mais divulgados.

Portanto, esteja atento e participe de:

Grupo do Telegram: para ficar informado sobre novos editais e receber conteúdos relacionados.

Powerhouse de inovação: para saber das parcerias com hubs de inovação e aprender com quem faz parte do ecossistema.

Redes sociais: para acompanhar as campanhas de editais em andamento e ter contato com possíveis parceiros.

Newsletter: para receber um boletim periódico com propostas de inovação além de conteúdos semanais sobre os mercados de forma otimizada.

A Neo Ventures está empenhada em colocar startups e outras iniciativas relacionadas a caminho das melhores oportunidades na inovação.

Por isso, criamos a #OpenRoad, uma trilha do conhecimento com tudo o que você precisa saber para fazer parte da comunidade da inovação. Acompanhe e compartilhe com quem quiser!

Publicado em 12 de julho de 2022
crossarrow-left linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram