Inovação Aberta x Inovação Fechada – Saiba as diferenças

voltar Publicado em 27 de agosto de 2020

Inovação Aberta x Inovação Fechada – Saiba as diferenças

A abertura do negócio para inovações externas vem para ampliar os horizontes, proporcionar mais meios de seguir se desenvolvendo e competindo em um mercado que exige cada vez mais inventividade. Por isso, saiba quais as principais diferenças entre Inovação Aberta e Fechada e entenda o novo modelo.

O que é Inovação Aberta?

A Inovação Aberta é uma mudança na visão empresarial em relação às pesquisas e aos novos produtos. Ou seja, as empresas começam a se abrir para ouvir seus parceiros dentro da próprio ambiente institucional (áreas de produção, vendas, serviços de campo e outros) e fora desse ambiente, considerando cooperações com universidades, institutos de pesquisa, fornecedores e até o próprio consumidor

Henry Chesbrough, em 2003, lançou seu livro Inovação Aberta: Como criar e lucrar com a tecnologia. Nesse momento, o pesquisador implementou no mercado uma nova forma das empresas inovarem. Assim, a inovação aberta tem o papel de acelerar o processo de inovação dentro das organizações, uma vez que é expandido os limites das companhias tornando acessível e didático os recursos e ideias internas com colaboradores externos.

A Inovação Aberta pode acontecer por meio de programas de conexão com universidades e pesquisadores, startups e tecnologias emergentes, além de hacktowns e desafios tecnológicos. Todas essas práticas buscam não só a resolução de problemas complexos, mas também a potencialização dos resultados positivos.

O que é Inovação Fechada?

Se olharmos de uma maneira bastante criteriosa para o tema, veremos que a Inovação Fechada, como conceito, é praticamente impossível. Sempre será necessário olhar para fora, buscar referências e conhecimentos externos. Logo, é melhor falarmos em estratégia de Inovação Fechada. 

Uma empresa que opta por manter seus esforços de inovação fechados têm seus projetos desenvolvidos apenas dentro de limites claramente definidos. Know-how, tecnologia, processos e propriedade intelectual permanecem sob o próprio controle Isto é, sem colaboração com outros agentes do mercado ou universidades, por exemplo.

Segundo o próprio professor Henry Chesbrough, a Inovação Fechada é baseada na visão de que as inovações são desenvolvidas internamente. Da geração de ideias ao desenvolvimento e marketing, o processo ocorre exclusivamente dentro da empresa.

Diferenças entre a Inovação Aberta e a Inovação Fechada?

A Inovação Aberta busca o melhor, esteja onde estiver – importação e exportação conscientes de conhecimento para melhorar e acelerar as próprias inovações. Promove o intercâmbio de ideia e experiência para além dos limites da empresa.

As organizações aproveitam seus melhores talentos e buscam reforços no mercado (em universidades, consultorias, parceiros de negócios, etc.). Geram aproveitamento máximo das ideias internas e externas. A liderança da competição, não está  em oferecer as melhores ideias, mas em aproveitar ao máximo as ideias que surgem. O norte é o desenvolvimento de um modelo de negócios melhor, não em ser o primeiro no mercado a inovar.

A Inovação Fechada está calcada na convicção de que as soluções podem emergir dos recursos internos disponíveis. As ideias costumam vir dos gestores de projetos e seus liderados. Por conta dessas características, é necessário garantir a contratação e a retenção dos melhores talentos (pesquisadores, técnicos, especialistas, etc.), o que muitas vezes sai bem caro. Há forte crença que para liderar a competição, é necessário oferecer as melhores ideias. O vencedor é quem traz a inovação ao mercado primeiro.

Como migrar para a Inovação Aberta? 

O primeiro passo se você quer migrar para a Inovação Aberta é manter a mente aberta para novos horizontes. Você precisa analisar todos os dias sua empresa para observar o que pode ser melhorado, quando e como. Opções inovadoras surgem todos os dias e nos habituamos a deixá-las passar. Mas eduque seu olhar para perceber todas as novas ideias e pensar: “em que isso pode ser benéfico para meu negócio?”

Além disso, os maiores empreendedores do mundo possuem uma história equilibrada entre acertos e falhas. Ou seja, nem todas as suas atitudes resultarão necessariamente em jogadas de sucesso empresarial. Cometer falhas é humano, é aceitável e saber como reagir a elas é o que faz a diferença.

posts relacionados

FALE CONOSCO

Seja Nosso parceiro

Entre em contato

Trabalhe Conosco

Envie seu currículo

Neo Ventures 2018 - Todos direitos reservados

Desenvolvido por: