Crescimento das startups: conheça todos os estágios

voltar Publicado em 29 de março de 2021

Crescimento das startups: conheça todos os estágios

Grandes empresas e startups são muito semelhantes a organismos vivos, tendo ciclos de crescimento, maturação e finalização. E como tudo que é vivo, nem sempre as fases de desenvolvimento seguem uma regra idêntica em todos os casos, podendo haver variações.

Independentemente do formato dado ao percurso, ele é composto por estágios observáveis e previsíveis. Contudo, a intensidade, dureza e impacto pelo qual uma startup irá atravessar esse trajeto não pode ser adivinhado.

Mas é importante que cada negócio compreenda o estágio em que está inserido, e quais rotas de crescimento desejam seguir, para que possam tomar decisões mais estratégicas e assertivas. Confira alguns dos principais estágios de crescimento das startups abaixo:

Estágios de crescimento das startups:

Early stage

Early stage é o estágio inicial de uma startup, que pode compreender diferentes momentos, como a captação dos primeiros recursos, o lançamento de produtos ou serviços em versão beta, prototipagem e testes, processos de crowdfunding ou a entrada em um programa de aceleração ou incubação. São os passos iniciais que moldam um novo negócio para que ele se solidifique e futuramente tenha peso no mercado.

De acordo com um estudo da sobrevivência das empresas no Brasil, levantado pelo Sebrae, a maior parte das empresas que fecham antes do segundo ano de vida tiveram tempo de planejamento inferior a oito meses, e seus gestores não se capacitaram com cursos de gestão de negócios durante o processo.

Ainda de acordo com o estudo, outro motivo que leva à morte das startups é a falta de necessidade de mercado das soluções prestadas pelos novos negócios. Logo, este é o momento de questionar por que se envolver neste segmento, qual é o nicho de mercado a ser explorado e de que forma a solução oferecida é inovadora.

Scale-up

A startup em estágio de scale-up está em pleno potencial de atingir um novo patamar no mercado, normalmente levantando investimentos de série A ou parcerias com outras empresas que possam alavancar seu crescimento. O produto já está validado no mercado, e o número de clientes ou usuários está em expansão contínua. O Endeavor classifica as empresas em estágio de scale-up como negócios que “crescem ao menos 20% ao ano, por três anos consecutivos, em número de funcionários ou receita”.

Para se tornar uma scale-up, a sua empresa tem que ter um crescimento de 20% em três anos consecutivos – seja em receita ou no número de colaboradores.

Além disso, rodadas de investimento são válidas para acelerar ainda mais o já espantoso crescimento.

Com uma equipe de colaboradores já mais robusta e bem desenhada, chegou a hora de recrutar alguns especialistas em áreas estratégicas.

Unicórnio

Startups se tornam unicórnios quando atingem um valor de mercado superior a US$ 1 bilhão. O termo representa a raridade da ocasião, como se enxergar uma startup chegar a um valor tão alto fosse um evento tão difícil quanto vislumbrar um unicórnio. De acordo com o CB Insights, em fevereiro de 2021 já existem mais de 500 startups unicórnio em todo o mundo, e 15 delas são brasileiras. A startup brasileira mais valiosa é o NuBank, que já alcançou um poder monetário de US$ 25 bilhões.

IPO

Nem todas as startups desejam se tornar unicórnios, pois há vantagens e desvantagens estratégicas por trás dessa nomenclatura no mercado. Alguns negócios optam por um modelo mais tradicional de crescimento, o IPO, ou Initial Public Offering ― a abertura de capital em uma bolsa de valores. Até o momento, poucas startups brasileiras optaram por seguir essa rota de crescimento, possivelmente por estarem atentas a grandes desastres de startups internacionais que fizeram essa opção, como Uber e WeWork. Mas as coisas estão mudando, e alguns estudos, com o da Distrito, indicam que 2021 pode ser o ano dos IPOs de startups no Brasil.

Exit

Todas as startups, assim como os seres vivos, irão morrer de uma forma ou de outra. A diferença é que o período de “morte” não necessariamente significa o fechamento do negócio, mas talvez a venda para um grande investidor, ou a abertura do capital (IPO).
A grande dificuldade, no momento da venda, é encontrar parceiros e investidores dispostos a comprar empresa, seja para tomar liderança de operações ou para incorporá-la em outros negócios.

Caso a startup tenha tido um crescimento significante, e se torne uma das referências em seu segmento, o IPO pode ser, também, uma estratégia válida.

Contudo, a investidora Startup Explore sugere que há uma tendência crescente no mundo das startups quando se trata de abertura de capital: mais e mais empresas estão postergando o momento da oferta pública inicial. Isso é uma consequência da alta quantidade de capital disponível no mercado de startups de venture capital, de empresas de private equity ou de outras instituições de investimento.

Você tem ou trabalha em alguma startup? Conta para a gente se ela está passando por algum desses estágios mencionados acima. Veja também quais costumam ser os 7 fases de uma jornada empreendedora.

posts relacionados

FALE CONOSCO

Seja Nosso parceiro

Entre em contato

Trabalhe Conosco

Envie seu currículo

Neo Ventures 2018 - Todos direitos reservados

Desenvolvido por: